Loading...

sábado, 23 de abril de 2016

GARÍ USA PAPELÃO COMO PÁ E SACO DE NYLON COMO DEPOSITO DE LIXO EM PARANÁ RN



Um Garí do quadro de efetivos da prefeitura municipal de Paraná – RN foi flagrado trabalhando sem EPI-Equipamento de Proteção Individual, e até mesmo sem as ferramentas que seriam necessárias para desempenhar suas funções.
O flagrante foi realizado pelo autônomo José Dorian. Segundo ele o cidadão conhecido por Luis de Neto, é funcionário do quadro de efetivos da prefeitura municipal. As fotos foram feitas na ultima segunda-feira (18), na rua sete de setembro, em volta do mercado publico municipal.
Pelas fotos é possível observar que o suposto funcionário utiliza um caso de nylon para depositar o lixo e utiliza um pedaço de papelão como pá, para recolher o lixo.
Por outro lado 
Tentamos contato com a prefeitura municipal de Paraná, porém as nossas ligações não foram atendidas. Deixamos o espaço para que a administração municipal possa exercer seu direito de resposta.
Da Redação
http://pbalerta.com/

POLÍTICA: Ministro do STF quebra sigilos fiscal e bancário de Agripino Maia


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso determinou a quebra dos sigilos fiscal e bancário do senador José Agripino Maia (DEM-RN) e de mais dez pessoas e cinco empresas ligadas ao parlamentar, que é presidente do DEM.

Em outubro do ano passado, o STF abriu um inquéritocontra o senador. A Procuradoria-Geral da República (PGR) utilizou mensagens apreendidas pela Polícia Federal no celular de um dos executivos da empreiteira OAS, José Aldelmário Pinheiro, condenado na Operação Lava Jato, para embasar o pedido de abertura de inquérito contra Agripino.

Agripino Maia é investigado por suposto recebimento de dinheiro da empreiteira OAS Arquivo/Agência Brasil

O senador é investigado pelo suposto recebimento de dinheiro da empreiteira OAS, responsável pela construção da Arena das Dunas, estádio construído em Natal para Copa do Mundo de 2014.

Saiba Mais

A PGR pede a quebra dos sigilos de 2010 a 2015. De acordo com o pedido, há elementos nos autos que indicam que “os fatos se relacionam a complexo esquema de recebimento e repasse de valores ilícitos para várias pessoas, mediante a utilização de diversas empresas, com a finalidade de ocultar a origem e o destino final dos recursos envolvidos. Nesse contexto, mostra-se essencial à descoberta da verdade o acesso aos dados fiscais e bancários dos implicados na situação”.

A quebra de sigilo bancário e fiscal foi decidida por Barroso no último dia 7 e atende a um pedido feito pela PGR no mês passado. De acordo com a decisão, a PGR demonstrou que as provas apontam indícios de lavagem de dinheiro.

“Com efeito, há nos autos informações de operações financeiras realizadas pelo investigado que consubstanciariam indícios da prática de lavagem de dinheiro. Como explicitado pelo Procurador-Geral da República, estes elementos, aliados aos demais indícios coletados, recomendam o aprofundamento da investigação com o deferimento da medida requerida”, diz a decisão.

No pedido feito ao STF, a PGR lista familiares, empresas, assessores e ex-assessores do senador, que também terão os sigilos bancário e fiscal quebrados. O deputado federal Felipe Maia, filho de Agripino, está entre os citados.

Por meio de sua assessoria, Agripino Maia disse que a quebra de sigilo vai ajudar no esclarecimento dos fatos e mostrar “a falta de fundamento” das acusações. “Tenho certeza que tornarão clara a improcedência da acusação que me é feita, de conduta irregular na construção da Arena das Dunas.”

A assessoria do deputado Felipe Maia também informou que a medida será positiva para o esclarecimento da denúncia. “A quebra dos meus sigilos fiscal e bancário, autorizada pelo Supremo Tribunal Federal, contribuirá para esclarecer em definitivo os fatos investigados e comprovará a falta de fundamento e consistência das acusações feitas contra o senador José Agripino e pessoas ligadas a ele”, disse.

*Agência Brasil
http://www.umarizalnews.com.br/

Eduardo Cunha pode assumir Presidência da República em junho


Lula Marques

Eduardo Cunha (foto) poderá assumir a Presidência da República em pelo menos quatro oportunidades até o fim do ano, caso a abertura do impeachment de Dilma Rousseff seja aprovada pelo Senado nas próximas semanas e Michel Temer viaje para o exterior para compromissos diplomáticos.
A primeira vez seria logo em junho, quando deve ocorrer a Cúpula do Mercosul, em Assunção.
Em setembro, Temer teria outros dois compromissos: a Cúpula do G-20, na China, e a Assembleia Geral da ONU, em Nova York — um evento que dificilmente Temer perderia, já que é o presidente brasileiro que tradicionalmente faz a abertura da reunião.
No mês seguinte, Cunha também assumiria, já que Temer teria que viajar para a Cúpula dos Brics, na Índia.
É a escalada de Eduardo Underwood Cunha a todo vapor.

Lauro Jardim
http://blogeugeniofreitas.blogspot.com.br/

Apaixonado pelo Atlético, radialista de Cajazeiras revela planos do clube e fala sobre candidatura a vereador


O radialista contou que não tem dinheiro para custear a campanha, mas aposta no reconhecimento da população ao seu trabalho para ser eleito em Cajazeiras.

O veterano radialista e locutor esportivo Francisco Alves Tatico confirmou, durante participação no programa Olho Vivo, da TV Diário do Sertão, que é pré-candidato a vereador de Cajazeiras. Ele revelou vários planos para o seu time de coração, o Atlético de Cajazeiras.
Tatico conta que não tem recursos financeiros para a campanha, mas aposta no reconhecimento da população ao seu trabalho para ser eleito.
“Não tenho dinheiro. Todo mundo conhece as minhas condições financeiras. Mas estou entrando na luta da política porque já trabalhei pra muita gente e acho que chegou meu momento. Eu não tenho dinheiro, mas eu tenho serviço prestado. Eu já servi muito a essa comunidade. Já servi muito ao esporte de Cajazeiras, e quero continuar servindo.”
Tatico afirma que em mais de 20 anos de profissão, ficou marcado como um radialista engajado nas causas sociais e isso pode fazer a diferença.
“Eu desafio qualquer pessoa que bateu à minha porta, que me procurou na Difusora para uma campanha, para uma ajuda, mesmo sem eu ter, que eu não consegui esse objetivo.”
Segundo ele, se tornar vereador sempre foi um sonho, e a pré-candidatura neste ano é desejo de muitos amigos.
“É uma pré-candidatura que muita gente me pedia. É um sonho antigo que eu tenho, e eu tenho certeza que com esse trabalho que eu já fiz e vou continuar fazendo, independente de política, eu vou realizar.”

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Açude São gonçalo em souza na paraiba atinge 40% de sua capacidade!


E o Municipio de Souza volta a ser abastecido !

Wilma de Faria admite candidatura a prefeita de Natal.




A ex-governadora do Rio Grande do Norte, Wilma de Faria, tem como prioridade no momento atual cuidar de sua saúde.
Numa declaração a imprensa de Natal mostrou-se decepcionada com o PSB. Achou uma covardia terem tirado a legenda de sua mão enquanto ela estava doente.
Acha que o PSB é um partido hoje enfraquecido no RN.
Disse que agora estava no PT do B e não descartou a possibilidade de ser candidata a prefeita de Natal nas eleições municipais deste ano se estiver bem de saúde.
Nós entramos no PT do B para ter um partido de titularidade, disse.

Fonte:http://www.serrinhadefato.com/

Poderes do RN aguardam decisão do STF para demitir servidores irregulares



Acórdão, com detalhes da decisão, ainda será publicado. A partir daí, poderes se organização para cumprir medidas

POR DINARTE ASSUNÇÃO 


Os Poderes do Rio Grande do Norte aguardam a publicação do acórdão do Supremo Tribunal Federal sobre a decisão que derrubou um dispositivo encartado na Constituição Estadual e que concedeu estabilidade a servidores públicos no âmbito do Executivo, Legislativo, Judiciário, Municípios, fundações, empresas públicas e autarquias.

A cautela se deve, explicaram os órgãos consultados, por ainda não se saber o teor da decisão tomada pelos ministros do STF no julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 1301. Tomada pelo plenário do Supremo, a decisão é irreversível, ou seja, não cabe recurso.

Um dos órgãos consultados pela reportagem antecipou que deverá ser feito um levantamento sobre quais são os servidores enquadrados na situação. Como o STF reconhece que o dispositivo que os incorporou efetivamente ao serviço público é inconstitucional, eles deverão perder o vínculo e serem demitidos.

O caso

A ADI 1301 chegou ao STF em 1995, movida pelo então governador do Estado, Garibaldi Filho, contra a Assembleia Legislativa, quem promulgou a Constituição Estadual contendo o dispositivo ora derrubado. A intenção do então governador era fazer uma reforma administrativa no Executivo e demitir todos os servidores que tinham sido efetivados à margem da lei.

Em 11 de dezembro daquele ano, os ministros do STF rejeitaram um pedido de liminar que foi incluído na ação e que pedia antecipação de tutela, ou seja, pedia que os efeitos do julgamento do mérito fossem antecipados liminarmente. Naquela ocasião, ao rejeitarem o pedido, os ministros admitiram, no entanto, que a matéria deveria ter seu julgamento prosseguido, o que só aconteceu agora, 21 anos depois.

O dispositivo contestado pelo Executivo em 1995 se referia ao artigo 14 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição Estadual, o qual tinha a seguinte redação: “Os servidores públicos civis do Estado e dos Municípios do Rio Grande do Norte, da administração direta, autárquica, das fundações públicas, das sociedades de economia mista e empresas públicas, em exercício a 5 de outubro de 1988, há pelo menos cinco anos continuados e que não tenham sido admitidos na forma do art. 26, da Constituição, são considerados estáveis no serviço público […]”.

Então relator do caso à época, o ministro Moreira Alves anotou, ao rejeitar o pedido de liminar, a discrepância que o texto constitucional estadual gerou. Ele escreveu o seguinte: “Verifica-se que não se limitou ele a reproduzir o texto do artigo 19 do ADCT da Constituição Federal adaptando-o ao Estado do Rio Grande do Norte, mas foi além, ao estender estabilidade excepcional concedida pela Carta Magna Federal aos servidores de economia mista e empresas públicas, bem como a não excetuar da aplicação dessa estabilidade as hipóteses de não aplicação contidas nos parágrafos 2º e 3º do citado artigo 19 do ADCT da Constituição Federal”.

Em seu Ato das Disposições Constitucionais Transitórias (ADCT), a Constituição Federal prevê, no artigo 19, que a estabilidade no serviço público deveria ser conferida a servidores da “União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, da administração direta, autárquica e das fundações públicas”, não incluindo os de economia mista e empresas públicas, como fez a Constituição do Rio Grande do Norte.

Fonte: www.portalnoar.com/ Carlos Skarlack

NOTA DO BLOG MARTINS EM PAUTA.COM

E AGORA?